Categorias
Ciencia

O que não lhe contaram sobre os Super vulcões

Como será o seu futuro? Você já leu esta pergunta antes aqui! O que o futuro nos reserva? Hoje trazemos mais uma viagem pela nossa máquina do tempo, para lhe mostrar o que pode vir a se acontecer em um futuro não tão distante. Venha connosco para esta parte 3.

Explosão de um super vulcão

Qual é a diferença entre um vulcão e um super vulcão? – você pode ter se perguntado – Bem, nós explicamos! Um super vulcão é um vulcão com um potencial ainda maior que qualquer outro vulcão, podendo ser capaz de gerar grandes catástrofes.

Não existe um tamanho catalogado para que um vulcão passe a ser um supervulcão, mas uma característica pode ser usada para essa destinção: as erupções ainda mais devastadoras, que podem causar enormes mudanças ao clima da região onde se encontram e do mundo.

Se um supervulcão entrar em erupção, ele pode criar crateras enormes, e com enormes queremos nos referir a dezenas de quilómetros de diâmetro.

Esses vulcões podem ser encontrados em quase todo o mundo, menos em dois continentes: África e Antártida. Alguns dos mais conhecidos são: a Caldeira de Yellowstone, La Garita, Taupo Nui a tia, e Cerro Guacha.

Os cientistas esperam que a errupção desses supervulcões se dê entre os anos 91440 e 294190. É muito longe, e a humanidade provavelmente não estará cá para presenciar isso.

Especialistas usaram como exemplo o super vulcão de Yellowstone, cuja erupção é esperada que aconteça daqui há muito tempo. Esqueça o que você viu no filme ‘2012’ e acredite, você não ia querer estar perto de uma explosão de um super vulcão!

Mas o que aconteceria se um super vulcão entrasse em erupção?

Imensas nuvens com partículas tóxicas seriam criadas e lançadas à atmosfera e por lá durariam semanas, enquanto isso, a lava começaria a destruição. Agora imagine uma cortina gigantesca de lava e cinza lançadas por mais de 20km de altura até a estratosfera.

Esse efeito podia fazer com que o céu em quase todo o planeta fosse visto com um tom cinzento durante dias, por causa das imensas nuvens provocadas pela erupção.

Mas como eu posso saber se estou seguro ou não? – você pode ter se perguntado! Ora, uma pessoa só poderia estar segura se estivesse a pelo menos 300 km do epicentro da explosão de um supervulcão.

Danos provocados

Depois disso, gases tóxicos seriam misturados às nuvens em um uma boa parte do globo terrestre, deixando as chuvas tóxicas que podiam causar danos piores em edifícios, sistemas de valas de drenagem e estradas do que as chuvas normais, pois estas estariam cerca de 5 vezes mais densas.

A água estaria contaminada por causa dos gases mandados para a atmosfera, e outros mais danos como apagões e danos em redes elétricas em muitas partes que seriam atingidas pelas chuvas tóxicas, tornando as redes de comunicações danidicadas.

Diversos serviços seriam interrompidos por semanas, como é o caso dos voos para as regiões próximas ao supervulcão, por conta das nuvens densas que poderiam causar queda de aeronaves.

Depois de algumas semanas, o céu estaria completamente escuro e a temperatura podia cair em cerca de 10oC podendo levar dezenas de anos.

Problemas para as Economias

Se você pensa que essa queda de temperatura em 10oC podia ajudar, uma vez que estamos no drama do aquecimento global, você está errado/a , pois a agricultura em todo o planeta estaria comprometida por causa da mudança ‘brusca’ da temperatura em todo o planeta, sem deixar de lado a contaminação de quase toda a água no planeta.

Esse problema geraria outros problemas, na verdade, graves problemas a várias economias pelo mundo. Já imaginou se isso acontecesse? É um fato que a humanidade ainda não está pronta para esse tipo de catástrofes.

Conclusão

 Uma erupção desse nível podia causar vários problemas e várias mudanças no planeta Terra, afinal, estamos a falar de algo que podia ser sentido por todo o planeta, e podia causar problemas em diversas economias e populações em todo o mundo.

Se tiver gostado do que trouxemos hoje, deixe nos comentários se quiser mais artigos relacionados a este assunto.

Não esqueça de partilhar com aqueles amigos curiosos e siga-nos nas nossas redes sociais e subscreva no blog para ficar sempre atualizado quando algo novo for publicado.

Veja agora Uma Breve viagem para o futuro (parte 2) e mais artigos que preparamos para si, e não deixe de aprender mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *