Categorias
Ciencia

Não te contaram isso acerca do Sol: vai desaparecer?

Que o sol é a força gravitacional dominante no sistema solar por causa de sua enorme massa todos sabemos. Essa força gravitacional causada pelo sol faz com que os 8 planetas, assim como cometas e meteoritos que pelo nosso sistema vagam, o façam em forma de uma elipse a volta do sol.


Costuma-se dizer que a natureza é precisa, o mesmo pode-se afirmar do espaço, uma vez que a energia solar aquece o nosso planeta, de tal forma que haja vida na Terra, mantendo a temperatura exata na superfície do planeta para que tal aconteça.


Para entendermos um pouco a magnitude deste astro para nós, temos que saber que o sol é cerca de 333 mil vezes a massa do nosso planeta azul (a Terra). Produzindo a cada segundo, uma energia equivalente a 100 bilhões de bombas de hidrogénio.


Bem, isso pode parecer uma perguntinha tola ou com uma resposta fácil, mas você já se perguntou o que aconteceria ao nosso planeta se o sol desaparecesse repentinamente, ou seja, agora?

Os primeiros efeitos


Se o sol desaparecesse, nós ainda o poderíamos ver do nosso planeta por mais 8 minutos, que é o tempo que a luz do sol leva para chegar à Terra, e lógico que depois desses 8 minutos, começaríamos a sentir o efeito da ausência do sol, começando com um apagão que podia surpreender a humanidade.

Noite Eterna

Um dos efeitos de um desaparecimento do sol seria uma noite aparentemente sem fim.

Você deve ter pensado em um céu totalmente escuro, mas espere aí, afinal as estrelas têm seu brilho e não deixariam de brilhar porque o sol desapareceu, porém, não poderíamos ver a superfície da lua iluminada, uma vez que para isso precisaríamos da luz do sol.

A ausência do sol ainda não seria notada em todos os planetas do sistema solar, então, até não haver mais luz do sol para o planeta mais distante do centro do sistema solar, ainda poderíamos ver os últimos planetas iluminados.


Vamos fazer uma conta rápida: quando Júpiter está próximo da Terra, está a 33 minutos-luz (o que quer dizer que pode-se levar 33 minutos para chegar em Júpiter se se viajar na velocidade da luz), então por cerca de 66 minutos, ainda podia-se ver da Terra, o gigante gasoso, pois seriam 33 minutos depois do apagão da Terra, para que Júpiter fosse iluminado pela última vez pela luz solar, e levaria mais 33 minutos para que a luz refletida em Júpiter pela última vez, não fosse mais visível na Terra.


Bem! Mas agora voltando para a Terra, os cientistas acreditam que um segundo depois da luz do sol desaparecer da superfície da Terra, isto é depois dos 8 minutos, o processo de fotossíntese seria imediatamente interrompido, e acredita-se que muitas plantas pequenas podessem morrer em alguns dias.

O Clima e o relevo da Terra

Sem o Sol, temperatura baixaria drasticamente.


Segundo Michael Stevens, em uma semana, a temperatura média da Terra ia cair até os 0°C, e um ano após o desaparecimento do sol, a temperatura poderá chegar aos 66°C negativos.

Enquanto isso, acredita-se que os oceanos possam congelar, tranformando a Terra em uma bola coberta de gelo.


Embora a superfície da Terra esteja toda ela coberta de gelo, os oceanos seriam líquidos em suas profundezas, tal como acontece com os lagos fundos congelados no inverno.

A vida na Terra

Os humanos seriam forçados a viver em regiões geotérmicas.

Já não há fotossíntesse logo as plantas não produzem alimentos, a vida na Terra está quase em extinção, uma vez que com o desaparecimento do sol, o equilíbrio foi quebrado e a temperatura na Terra caíu drasticamente, fazendo com que imensas espécies entrassem em extinção e outras desaparecessem mesmo.


As únicas espécies ainda vivas teriam que se habituar as novas condições de vida na Terra, assim como o Homem que teria que procurar abrigo nas regiões ou fontes geotérmicas, uma vez que essas aberturas carregam consigo o calor do núcleo da Terra.

Opa! Vamos explicar o que são essas regiões geotérmicas: Regiões geotérmicas são regiões abaixo da superfície da Terra, ou seja, regiões no ‘interior da Terra’ com temperatura mais quente em relação à superfície, por cada quilómetro de profundidade em direção do núcleo da Terra a temperatura aumenta em cerca de 30°C segundo os cientistas.


Os animais que por aquelas regiões vivem, por lá continuariam por bilhões de anos, uma vez que eles não precisam do sol para sobreviver, mas das fontes geotérmicas onde vivem.

O que aconteceria com a órbita da Terra?


Você sabe como funciona a gravidade no sistema solar? É o seguinte: suponhamos que você tenha atado as 4 pontas de um pano em 4 postes, agora que você coloca uma bola de futebol no pano e depois coloca uvas no pano separadas umas das outras, o que acontece? – as uvas tendem a mover-se para onde temos a bola de futebol, sendo atraídas através do declive no pano causado pela bola.

É assim que acontece no sistema solar entre os planetas (Uvas) e o sol (bola).


Se o Sol desaparecesse, os planetas que já se encontravam em seus movimentos, seriam “lançados” e iam vagar pelo espaço sendo atraídos por uma força gravitacional mais ou menos como a do sol, sendo atraídas por um buraco negro ou uma estrela próxima.

O planeta Terra então, podia vagar pelo espaço, em linha reta e a uma velocidade constante, a uma distância de cerca de 4,3 anos-luz, para chegar a estrela mais próxima do sistema solar: Alpha Centauris, em cerca de 43 mil anos de viagem, se não colidisse com qualquer planeta, lua, cometa ou asteróide.

Quando isso irá acontecer?


Mas para o nosso alívio isso não irá acontecer, afinal, o mais provável, segundo os cientistas, é que o sol se transforme em uma anã branca com o tempo e isso só poderá acontecer daqui há 10 bilhões de anos, o que é muito tempo, e a humanidade não estará cá para ver isso, pois o planeta Terra já terá sido destruído 2 bilhões de anos antes.


Gostou do que lhe trouxemos hoje? O que mais gostaria de ver por aqui? Deixe nos comentários.

Siga-nos nas nossas redes sociais, e ajude-nos a crescer e alcançar mais pessoas curiosas. E não esqueça: não pare de aprender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *